page loader

Leitor de código de barras: entenda como funcionaEm praticamente todos os produtos que consumimos, o código de barras está presente. Ele funciona como um “RG” e ajuda na identificação desses itens. Porém, para isso, é necessário dispor de uma ferramenta que seja capaz de fazer a leitura do padrão e transformá-lo em informação: é aí que entra o leitor de código de barras.

COMO FUNCIONA O MECANISMO DE CÓDIGO DE BARRAS?

 

 

As barras são a representação gráfica dos números que ficam situados logo abaixo delas no código. Elas representam um código binário (de 1 ou 0), seguindo a lógica da área da computação para formar os dados. Nesse caso, os números 1 são representados pelas faixas pretas, enquanto os números 0 são pelas brancas.
O código numérico funciona da seguinte forma:

Três barras iniciais

Sinalizam que, logo em seguida, o código do produto será descrito. Antes delas, costuma aparecer o número 7 (que indica que o produto é brasileiro). Isso acontece porque os números não ficam bem alinhados com as barras.

Primeiros três números

Eles indicam o país em que o produto foi cadastrado. No caso do Brasil, ele é representado pela sequência 789. Vale ressaltar que ele é referente à origem do cadastro do item e não de sua fabricação.

Segundo bloco de números

Esse grupo pode conter de 4 a 7 dígitos e serve para informar qual empresa foi responsável pela fabricação. Existe um controle rigoroso dos códigos, para que não haja duplicidade entre fabricantes diferentes.

Terceiro bloco de números

Essa sequência é referente ao produto. Vai variar de acordo com o tipo, a embalagem, o peso, a quantidade e o tamanho do item.

Dígito verificador

O último número da sequência é utilizado para avaliar a leitura do código. Para tal, o computador faz uma série de cálculos com os números restantes e valida se o item foi lido corretamente, caso o resultado seja igual ao dígito.

Como funciona o leitor de código de barras?

O leitor de código de barras, também chamado de scanner, emite um feixe de luz vermelha, que percorre as barras fazendo o seu reconhecimento por meio da cor — ou pela ausência dela.
No caso das barras pretas, o leitor absorve a luz e, nas barras brancas, ele reflete. Isso permite a interpretação do código, que converte a informação no código binário — 1 para preto e 0 para branco, como citamos acima. Pode-se notar que cada barra possui uma espessura diferente, o que representa caracteres distintos.
Para fazer a leitura do código de barras, basta posicionar o produto no traço vermelho do leitor, de forma que ele consiga “varrer” todas as barras. Em instantes, as informações são capturadas e repassadas ao computador, que faz a conversão dos dados.
Então, para usar um leitor óptico de código de barras, basta fazer a inserção do documento na fenda que está presente no leitor. Assim, o leitor óptico de código de barras faz a captura das informações em poucos segundos e repassa os dados ao computador.
A partir daí, o computador realiza todos os cálculos (que informamos anteriormente) e retorna com todas as informações referentes ao produto: unidade de venda, descrição, valor, entre outras. Quando a leitura não é feita corretamente, é exibida uma mensagem de erro na tela.
Apesar da complexidade, todo o processo dura segundos — o que garante agilidade na identificação dos itens, na separação dos produtos no estoque, na rotina de inventários e na venda dos itens.
Existem diversas tecnologias relacionadas ao leitor de código de barras, cada uma com benefícios e aplicações distintas, que permitem que pequenos empresários também tenham acesso a esse recurso e melhorem suas operações.

Quais são os conceitos por trás do código de barras e como eles influenciam na leitura?

Falamos sobre barras, espaços em branco, caracteres, números iniciais e finais, entre outros. Cada um desses pontos possui um papel fundamental na composição de um código de barras e influencia na forma como a leitura é realizada. Veja:
• Barra: é a parte escura do código. Quando a leitura é feita, ela absorve a luz e codifica cada parte com o código 1;
• Espaço: é a parte clara do código, que reflete a luz do leitor e seus módulos são codificados com o código 0;
• Caractere: são os números do código que são codificados por meio das barras (pretas ou brancas);
• Caractere inicial/final: indicam o início e o fim do código. São comumente representados por números, mas, dependendo do código, também podem ser representados por letras ou símbolos;
• Separador: indica a extremidade inicial e final do código, indicando para o leitor qual é o sentido do código;
• Densidade do código de barras: relaciona a quantidade de caracteres com o espaço que eles ocupam depois que são impressos.
• Modulo: consiste em um traço mais fino que compõe cada barra ou espaço. Quanto mais largo ele for, mais caracteres ele possui. Ou seja, seu tamanho é definido pela densidade que o código de barras possui, sendo que ele é a unidade mínima que compõe uma barra ou espaço.
• Sinais de enquadramento: é a área em que todos os elementos do código devem estar inseridos. É delimitado por um espaço retangular.
Como se pode ver, cada um possui uma função bem específica na construção do código e sua combinação é a responsável por proporcionar a leitura do código de barras com a sequência numérica que o acompanha.
O leitor de código de barras é um dispositivo fundamental para a realização da leitura e para a implantação da utilização do código como forma de identificação dos produtos. Suas aplicações são variadas, abrangendo desde pequenas mercearias que querem otimizar o processo de pagamento no caixa, até grandes empresas que precisam aprimorar os métodos de gestão de estoque.